Páginas

segunda-feira, 18 de julho de 2011

5º Domingo Depois de Pentecostes.


Os Fariseus.

A justiça dos fariseus... Era toda de aparências, e não de verdade. Evitavam escrupulosamente os  pecados que os pudessem desacreditar aos olhos do público, importando-se pouco da santidade interior. O cristão que exteriorrmente praticar boas obras, e não se esforçar por evitar os pecados interiores, pertence ao número desses hipócritas, que "não entrarão no reino dos céus".

Eu, porém, vos digo... Tinham os judeus dois tribunais diferentes: o do "juízo", que se compunha dos sacerdotes e pais de família, e funcionava em cada cidade; e o do "conselho" (ou sinédrio), que constatava de setenta e um membros, e só existia em Jerusalém. Este decidia as causas mais graves, aqueles as questões de menor alcance. O sentido das palavras de Cristo são as seguintes: Os tribunais humanos não se vingam senão os crimes que aparecerem por fora, como o homicídio; o tribunal de Deus, porém castiga também os pecados interiores e secretos, que aos olhos do mundo passam impunes. Pode alguém parecer honrado e ser tido na conta de "homem de bem", e ser não um obstante um grande criminoso aos olhos de Deus. Pode alguém cometer pecado mortal pelo simples fato de nutri voluntariamente ódios ou rancores contra o seu semelhante.

Tolo, ímpio... "Tolo", era para o judeu uma palavra ligeiramente ofensiva; "ímpio" equivalia a dizer: excomungado, condenado, ateu.

Vai reconciliar-se primeiro... A caridade é a primeira das nossas obrigações sociais. Deus não aceita o sacrifício daquele que viver em inimizades com o próximo, e recusar fazer as pazes. O cristão que se confessa sem vontade séria de se reconciliar com seu inimigo, não recebe o perdão das suas culpas;  nem pode rezar o Padre Nosso sem provocar a maldição de Deus; pois, toda a vez que diz: "Perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores", pede a Deus que não lhe perdoe os pecados, da mesma forma que também ele não perdoa as ofensas que tem sofrido do próximo. - Ainda nos tormentos da cruz, Nosso Senhor pedia pelos que o crucificavam: "Pai, perdoai-lhes, por que não sabem o que fazer".

Missal Dominical Popular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que o Espírito Santo possa conduzir-te ao comentar esta postagem.

Qualquer comentário que seja contra o que aqui está escrito, não será aceito!

Salve Maria!