Páginas

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Santo Tomás de Aquino.

Pio XI

“A todos quantos agora sentem sede da verdade, dizemos-lhes: ide a Tomás de Aquino”


“Ensinar alguém para trazê-lo à Fé é tarefa de todo e qualquer pregador, e até de todo e qualquer crente”

Thomas Aquinas, ora pro nobis!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Reflexão.

Esse final de semana que passou, eu fiz uma avaliação sobre esse blog.
Queria dizer que a partir de hoje, as postagens serão moderadas, posso ir contra alguma coisa, mas serei mais calmo que eu posso.

Minha opinião em relação a Renovação Carismática Católica é a seguinte: não tenho nem nunca tive nada contra, ela que fique pro lado dela, e eu para o meu. O problema é querer fazer coisas de um grupo de oração dentro da Santa Missa, e o problema só aumenta, por que acontecem os excessos. Muitos padres "carismáticos" que deveriam catequizar, só atrapalham e transformam as pessoas na mesma, nisso que conhecemos hoje. Um grande problema da RCC é a ilusão. Muita gente que vai ao grupo de oração já chega orando em línguas, repousando no Espírito, fazendo e acontecendo... Não é assim que a banda toca! Para tudo tem que haver um ensinamento e um discernimento, principalmente com as coisas de nossa Santa Igreja. Não digo que não exista, mas não há nada comprovado. Isso é a minha visão da RCC.

Minha opinião em relação a Teologia da Libertação é que: SOU CONTRA! Não apoio o comunismo dentro de nossa Igreja. O Catolicismo tem que ser sem martelo e sem foice. Não há outra Teologia se não a dada pela própria Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Em relação ao modernismo no geral a minha opinião é a seguinte: há coisas que eu discordo, e infelizmente ainda concordo, como por exemplo: Missa Nova, eu à assisto, sei que tem muitos erros, e por enquanto, eu não deixarei de assistí-la. Apoio a tradição da igreja, acho o Rito da Missa na forma Extraordinária (Missa Tridentina), a Missa com mais excelência a Cristo.
Sou contra palmas, louvores desenfreados na missa, apresentações de dança e teatro, e qualquer outro tipo de atração. Pois a Missa é o Calvário, se estamos ao lado de Maria vendo suas lágrimas, faríamos algo do tipo? Óbvio que não!

A todas as pessoas que aqui eu desrespeitei, a minhas desculpas! E a partir de hoje como foi dito, postagens moderadas.
Aos meus seguidores o meu muito obrigado pelo apoio, se ainda quiserem me seguir, bem! Se não, que todos fiquem com Deus!

Que Deus a cada dia de nossas vidas nos dê discernimento e o perdão de nossos pecados!

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Santa Inês - Virgem e Mártir.


Oração à Santa Inês.

Ó dulcíssimo Senhor Jesus Cristo, fonte de todas as virtudes, amigo das almas virginais, vencedor fortíssimo das ciladas dos poderosos, severíssimo extirpador de todos os vícios, lançai propício vosso olhar para a minha fraqueza, e pela intercessão de vossa Santíssima Mãe, a Virgem Maria e de Santa Inês, concedei o auxílio da vossa divina graça.

Fazei que eu saiba valorizar todas as coisas terrestres sem deixar de amar aquelas celestiais, resistir aos vícios e nunca consentir nas tentações, seguir constante a virtude, não buscar as honras, fugir aos prazeres, chorar os pecados cometidos, afastar-me as ocasiões de pecado, evitar as más companhias, tratar com os bons e perseverar no bem, para que, com o auxílio da vossa graça, mereça possuir a coroa da vida eterna com Santa Inês e com todos os santos, por toda a eternidade, no vosso reino.
Amém.

Sancte Agnes, ora pro Nobis!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

São Sebastião.


Oração a São Sebastião

Glorioso mártir São Sebastião,
soldado de Cristo
e exemplo de cristão,
hoje vimos pedir
a vossa intercessão
junto ao trono do Senhor Jesus,
nosso Salvador,
por Quem destes a vida.
Vós que vivestes a fé
e perseverastes até o fim,
pedi a Jesus por nós
para que sejamos
testemunhas do amor de Deus.
Vós que esperastes com firmeza
nas palavras de Jesus,
pedi-Lhe por nós,
para que aumente
a nossa esperança na ressurreição.
Vós que vivestes a caridade
para com os irmãos,
pedi a Jesus para que aumente
o nosso amor para com todos.
Enfim, glorioso mártir São Sebastião,
protegei-nos contra a peste,
a fome e a guerra;
defendei as nossas plantações
e os nossos rebanhos,
que são dons de Deus para o nosso bem
e para o bem de todos.
E defendei-nos do pecado,
que é o maior
de todos os males.
Assim seja.

Sancte Sebastiane, ora pro Nobis!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Vocação.

Dando uma passada no Youtube, encontrei esse video, gostei da letra. vejam:


Que Deus ajude a cada um de nós para sabermos realmente a nossa verdadeira vocação.
Seja o Matrimônio, seja o Sacerdócio, seja a vida consagrada... Que nós, com a ajuda de Deus Pai,  possamos seguir firmes, enfrentando todas as barreiras que o demônio possa colocar em nosso caminho.

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

As Traduções da Missa Nova.

Se os próprios textos latinos da Missa nova (Novus Ordo) já extenuam a pureza e integridade da fé nas sua traduções em vernáculo nas diversas línguas esse problema se agrava.

Vejamos alguns exemplos da tradução portuguesa:

1. “Semper Virginem Mariam” traduzido por “A Virgem Maria” (Notar que os protestantes toleram chamar Nossa Senhora de Virgem Maria, mas nunca de sempre Virgem Maria).

2. “Et cum spiritu tuo” traduzido por “Ele esta no meio de nós” (Além de ser infiel, essa tradução insinua uma autonomia dos fiéis com relação ao sacerdócio hierárquico do celebrante, justamente no momento em que se deve marcar que as graças nos são dadas em razão do sacrifício realizado pelo padre no altar).

3. “Offerimus” traduzido por “Apresentamos” (Reforça a nova concepção do ofertório, em que os dons não são propriamente oferecidos a Deus em espírito sacrifical, mas apenas apresentados ao altar).

4. “Meum ac vestrum sacrificium” traduzido por “O nosso sacrifício” (Insinua identificacão do sacerdócio do padre com o dos fiéis).

5. “Cum Angelis et Archangelis, cum Thronis et Dominationibus, cunque omnia militiae caelestis exercitus” traduzido por “Com todos os anjos e santos”.

6. “Vita aeterna” traduzido por “Vida”.

7. “Morte perpétua” traduzido por “Morte”.

8. “Pro Eclesia tua Sancta Catholica” traduzido por “Pela vossa Igreja dispersa pelo mundo inteiro”.

9. “Ab aeterna damnatione” traduzido por “Da condenação”.

10. “Pro multis” traduzido por “Por todos” A respeito dessa “tradução” que ocorre na Consagração do vinho, é oportuno lembrar o comentário autorizado do Catecismo Romano):

“As palavras que se ajuntam “por vós e por muitos”, foram tomadas uma de S. Mateus, outra de S. Lucas. A Santa Igreja, guiada pelo Espírito de Deus, coordenou-as numa só frase, para que se exprimisse o fruto e a vantagem da Paixão.

“De fato, se considerarmos sua virtude, devemos reconhecer que o Salvador derramou Sangue pela salvação de todos os homens. Se atendermos, porém, ao fruto que os homens dele auferem, não custa compreender que sua eficácia se não estende a todos, mas sóa “muitos”homens.

“Dizendo, pois “por vós”, Nosso Senhor tinha em vista , quer as pessoas presentes, quer os eleitos dentre os judeus, como o eram os Discípulos a quem falava, com excessão de Judas,

“No entanto, ao acrescentar “por muitos”, queria aludir aos outros eleitos, fossem judeus ou gentios. Houve, pois, acerto em não se dizer “por todos”, visto que o texto só alude aos frutos da Paixão, e esta surtiu efeito salutar unicamente para os escolhidos” (Parte II, n. 24).

11. “Et cum spiritu tuo” (no rito da comunhão) traduzido por “O amor de Cristo nos uniu”. Dando ênfase ao caráter comunitário da assembléia ali reunida, no qual os progressistas tendem a ver como elemento essencial da missa).

Quanto aos termos equívocos e jogo de ambigüidades, convém notar que esta sempre foi a tática dos modernistas (e de todos os herejes) para difundir os seus erros. A este respeito, há uma declaração de intenção muito interessante, feita por D. Duschak, em 5 de novembro de 1962, ou seja, antes das promulgações do Concílio: “Minha idéia, diz ele, será introduzir uma missa ecumênica…”. Como se lhe perguntasse se esta proposição vinha de seus diocesanos, ele respondeu: “Não, eu penso mesmo que eles se oporiam, assim como se opõem numerosos bispos. Mas se se pudesse colocá-la em prática, eu creio que terminariam por aceitá-la” (sic). A redação ambivalente dos textos do Concílio a isso se prestaria. “Nós o exprimimos de maneira diplomática, mas, depois do Concílio, nós tiraremos as conclusões implícitas…” Diante dessa resolução de um membro da Comissão doutrinal, o nada suspeito teólogo Schilebeeckx, teve um sobressalde indignação: “Eu considero isso desonesto” (Le Rhin coule dans le Tibre, P. R. Wiltgen, S.V.D., p. 37-38)

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

As diferenças.

A Santa Igreja Católica no mundo de hoje, está vivendo um momento de trágicas diferenças, nas quais muitas pessoas seguem o que querem, o que acham o certo para elas. Outros, porém, querem louvar a Deus de qualquer jeito, esquecendo-se das normas que a nossa Igreja impõe. As fotos a seguir são para mostrar o que está acontecendo. Veja:


Essa é Missa Tridentina. Missa na qual é chamada de tradicional ou antiga.
Ela conserva o Latim, e o Padre celebra em "Versus Deum", que significa: de frente para Deus, assim como todo o povo assiste.
Não há palmas, braços levantados em forma de louvor, vários instrumentos, danças, nada dessas coisas. Por que? Por que a Santa Missa é o Calvário. Se estivéssemos perto de Maria naquele momento, vendo suas lágrimas, faríamos algo desse tipo? Óbvio que não! Pena que muitos dizem que sim. Mas...
Nessa Missa são usados os Cantos Gregorianos e o orgão é o único instrumento usado.
Só há o abraço da Paz em Missas com o Senhor Bispo, ou seja, Missas soleníssimas.
Bom, isso é um pouco da Missa Tridentina, a Liturgia que existe a mais tempo na nossa Santa Igreja.


Observem a diferença da próxima imagem:


Essa é a chamada Missa Nova.
É a Missa que atualmente assistimos.
Nela são permitidos: palmas, braços levantados em forma de louvor, vários instrumentos, danças, e muitas outras atrações. Será que ela faz memória de que a Missa é o Calvário? Acho que não! O pior é quem tem gente que diz que sim! Mas...
Os cantos variam entre agitados e meio calmos.
O Abraço da Paz é liberado, mas se torna algo desorganizado, com muita euforia.
Bom, isso é um pouco da Missa Nova, Missa que veio após o Concílio Vaticano II, criado pelo Papa João XXIII e concluido pelo Papa Paulo VI.

Agora a perguntar que não quer calar: na sua opinião, qual seria o certo?

Que Deus a cada dia de nossas vidas, nos guie para o caminho certo, e também nos guie a fazer as coisas certas, para não tratarmos do sacrifício de seu Filho Unigênito por nós, um pleno Carnaval.

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.


quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Um desabafo qualquer.

Estava  Eu andando pela rua e comecei a pensar em um monte de coisas ao mesmo tempo.
A primeira coisa que veio na minha cabeça foi a 1º Carta de São Paulo aos Coríntios capítulo 13. A carta tinha como título: Acima de tudo o amor!
Muitas pessoas dentro da igreja dizem que tem muito amor a Deus, aos irmãos, e quando saem da igreja: falam mal dos outros, difamam, e não querem nem saber de nada. Até pisam no irmão se deixar. Que amor a Deus seria esse?!

Muitas pessoas dentro da igreja dizem que amam a Deus e quando acontece alguma coisa com elas do tipo: perdem o emprego, são assaltadas, perdem um ente querido ou até mesmo, passam por um momento de dificuldade financeira, dizem logo assim: Ah Senhor! Por que o senhor me castigou? Por que foi tão cruel? Que amor a Deus seria esse?!

Muitos jovens de dentro da igreja conhecedores dos mandamentos e dos sacramentos dizem que amam  a Deus, mas por que quando esses jovens saem de lá, fazem tudo ao contrário? Tem sexo, drogas, e quando acabam dizem com a cara mais lavada do mundo: Ah! Amanhã eu me confesso. Que amor a Deus seria esse?!

Existem católicos que sabem de tudo que a Santa Igreja sofre, com sua doutrina, magistério, liturgia, e muitos outros assuntos, mas,  mesmo assim, dão uma de que não entendem e preferem seguir esses movimentos modernistas da vida. Novamente a pergunta: Que amor a Deus seria esse?

Por que muitos Católicos sabem o que é certo e o que é errado dentro e fora da igreja, mas mesmo assim, insistem no erro? Será que é gostoso saber do certo e do errado e escolher o errado? Será que todo dia, é dia de dizer sim ao pecado?
Nós, seres humanos, todos os dias pecamos, mas quando temos a oportunidade de negá-lo, por que não o negamos?

Os versículos a seguir são os que mais vejo o quanto Deus nos ama e como ele cuida de cada um de nós. Veja:

4-O Amor é paciente,
o amor é prestativo,
não é invejoso, não se ostenta,
não se incha de orgulho.

5-Nada faz de incoveniente,
não procura seu próprio interesse,
não se irrita, não guarda rancor.

6-Não se alegra com a injustiça,
mas se regozija com a verdade.

7-Tudo desculpa, tudo crê,
tudo espera, tudo suporta.

Que Deus além de perdoar, ilumine a cada um de Nós em particular, mas principalmente aqueles que se esqueceram que Deus nos ama, e tudo de ruim que acontece conosco, é consequência dos nossos pecados, e não Deus que o faz. E também ilumine aqueles que se esqueceram o que realmente é amar a Deus e a seu filho: Nosso Senhor Jesus Cristo!

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Missa Tridentina.

A Liturgia do Céu!
Repare nessa Santa Missa, como o Padre fica diante da hóstia que ele acaba de consagrar:


Que belo! A Missa de sempre! Muitas pessoas não entendem a beleza do Rito Extraordinário, mas é a Santa Missa com mais Excelência a Jesus.
Muita gente diz: ah! mais o padre fica de costas para o povo e reza em latim... A beleza desse rito é isso, não é o padre estar de costas para o povo, mas é ele ficar como o próprio povo fica: de frente para Deus... E o latim é a língua oficial da Santa Igreja.
Na Missa Tridentina encontramos coisas belíssimas como a reverência de quem celebra, de quem ajuda, e de quem assiste.
Os cantos mais calmos são usados para essa celebração, e um único instrumento é preciso: o orgão, ou piano, etc.
Não há leituras como no novo "Ordo Missae", há apenas a Primeira Leitura(feita pelo próprio padre) e a aclamação ao Santo Evangelho. Também há a leitura do Santo Evangelho no fim da Missa, que é sempre o prólogo do Evangelho de São João (feito também pelo próprio padre).
Há apenas uma Oração Eucarística existente nessa Missa, a Oração I ou Cânon Romano.
Não há palmas, mãos levantadas, nem nada dessas coisas, por que, a missa é um sacrifício de Cristo a Deus feito no Monte Calvário, se estivéssemos ao lado de Maria, vendo suas lágrimas, não poderíamos de maneira nenhuma bater palmas, louvar, dançar, etc. A Missa é isso. O Sacrificío de Jesus a Deus feito no Monte Calvário, por isso não é permitido essas coisas...
O abraço da Paz na Missa Tradicional é raro, só em Missas Super solenes com o Sr. Bispo. As pessoas apertam a mão somente das pessoas ao seu lado, e de forma calma, sem extravagâncias.

Isso é a Missa Tridentina. A Missa de sempre! A Liturgia do Céu! Missa que deveríamos assitir todos os dias!
Deus não muda, por que a Santa Missa mudaria o seu rito?

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A Santa Igreja - Tudo o que perdemos.

Eis os videos do antes e do depois da Santa Igreja, vejamos as diferenças:






É lamentável ver o que aconteceu... Mais uma vez peçamos a misericórdia de Deus para Nós e para todos aqueles que fizeram da Santa Igreja o que ela é hoje.

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Batismo do Senhor!

A celebração litúrgica do Batismo de Jesus foi fixada no calendário romano para o segundo domingo ordinário em 1960 (no Brasil, após 1º de janeiro, ao primeiro domingo se transfere a Solenidade da Epifania, originalmente celebrada no dia 6; no domingo seguinte, portanto o segundo, festejamos o Batismo do Senhor a não ser que a Solenidade da Manifestação de Jesus caia, via transferência, em 7 ou 8 de janeiro - em outros termos, apenas quando o dia em que comemoramos o encontro dos reis magos com o Salvador, "dia de reis", em 6 de janeiro, é uma sexta ou sábado - quando, então, o Batismo do Senhor toma lugar na segunda-feira imediatamente após a Epifania. Esta festa encerra o Tempo do Natal). O rito do batismo era já um uso comum no judaísmo, só que o significado único dele era a purificação. A incorporação à vida divina provém da instituição por Cristo. O batismo de João tinha a finalidade de preparar as pessoas para receberem a graça superior do Verdadeiro Batismo, ou seja, o Batismo no Espírito, que foi instituído por Cristo.

João dá testemunho da grandeza de Cristo, dizendo que não é digno de desamarrar as suas sandálias. Isso nos mostra quão importante é, nos nossos dias, dar o devido lugar a Deus sem colocar as coisas da terra na Sua posição. O balão sobe mais quanto menos lastro tiver. Não quero dizer que as coisas da terra não tenham valor, como por exemplo uma amizade, que tem um grande valor. O erro está em dar um excessivo valor ao que em si não o tem, como o não ir à Missa no domingo por receber a visita daquele amigo. Isso é trocar o Amigo pelo amigo. Deus é o fim da nossa vida, tudo o que me ajudar a amá-lo mais é bem-vindo, mas não pode tomar o lugar de Deus.

Jesus não precisava ser batizado, mas quis recebê-lo para manifestar a sua glória e abrir-nos o céu. Com o seu batismo santificou as águas do mundo inteiro, que dariam a filiação divina a todos os que recebessem o batismo. Quando fomos batizados o céu se abriu para nós também. A sua porta continua aberta e só fechará se eu livremente a trancar com o pecado. Mas sempre poderei abri-la de novo com o sacramento da penitência.

Peçamos neste domingo uma grande docilidade ao Espírito Santo recebido no Batismo. Ele quer atuar como a chuva que desce do céu e não volta até ter regado a terra. Só assim, sendo gerado por Deus é que se vence o mundo, pois pelo batismo somos filhos de Deus.

Infelizmente nós católicos perdemos uma tradição muita bonita na Igreja; ainda existem lugares que o fazem: festejar e comemorar com mais alegria o dia do Batismo em vez do nascimento. O BATISMO É O NASCIMENTO PARA A VIDA NOVA.

Você sabe em que dia foi batizado? Em que dia nasceu para a vida no Espírito? Que nasceu para Deus?

Senhor Jesus, obrigado pelo dom do Batismo, graças ao qual posso chamar-vos Pai. Quanto amor para comigo! Dai-me a graça de corresponder fomentando a santidade inicial do batismo.

Seminarista Antônio Maldaner, LC

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Quanta Heresia Junta!!!

A foto que vamos ver agora é a chamada "Missa Carismática", ou "Missa da Graça" ou até mesmo "Missa de Cura e Libertação" feita pela Renovação Carismática Católica. Verdadeiro exemplo de descaso, abusos litúrgicos, e muitas outras coisas que a Santa Igreja é contra. Veja:


Como podemos ver, a igreja está a cada dia que passa ficando nas mãos de pessoas que esqueceram o verdadeiro sentido da Santa Missa. O Padre que deveria ser o o primeiro a discordar de tais abusos, é o primeiro incentivador dos abusos com o santo sacrifício de Cristo no Calvário. A tal missa, (se é assim que pode ser chamada) mostrada  na imagem acima, está mais para um culto protestante onde o Padre faz o papel do Pastor que incentiva os fiéis a total desordem com os excessos, abusos lítúrgicos e louvações desenfreadas. 
É lamentável que a Santa Missa "caiu na mão" dos modernistas e  se tornou um lugar não para relembrar-mos o sacrífio de Jesus feito para pagar os pecados da humanidade, e sim, se tornou um lugar de atrações como shows, apresentações de dança e teatro, orações em línguas, repouso no espírito... Perdendo totalmente o respeito e o verdadeiro sentido da Santa Missa. E o que realmente deveria ser uma Santa Missa, acaba se transformando em um Super Grupo de Oração comandado pela Renovação Carismática Católica. Infelizmente, é assim que muitas dioceses no Brasil e no mundo estão se comportando, e o que deveria ser a memória de um sacrifício feito por Cristo a Deus no Calvário, acaba sendo um espetáculo com luzes e cores.
Será que isso que vemos na imagem acima poderia ser chamada de Santa  Missa?
Será que em meio a todas essas atrações recordamos o sacrífio de Jesus no Calvário?
Que Deus em sua infinita misericórdia perdoe a cada um de nós em particular e principalmente aqueles que se esqueceram quem e como foi Jesus e para que ele veio.

Pax Et Bonum!

Augusto Cesar.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Unidade: Papa e líderes religiosos rezarão pela paz.

O Papa Bento XVI junto com cristãos de outras denominações e líderes de grandes tradições religiosas se reunirão para rezar pela paz. O encontro acontecerá em Assis, na Itália, em outubro deste ano - exatos 25 anos após iniciativa similar do então Papa João Paulo II, que também se reuniu com expoentes cristãos e de diversas religiões em 1986.

Após a oração do Ângelus, no dia 1º de janeiro, o Papa Bento XVI disse aos fieis que em sua mensagem para o 44° Dia Mundial da Paz teve a oportunidade de sublinhar como as grandes religiões podem constituir um importante fator de unidade e de paz para a família humana.

O Santo Padre frisou que, em outubro deste ano, irá a Assis, cidade de São Francisco, em peregrinação, e convidou a se unirem neste caminho os irmãos cristãos de várias confissões, os expoentes das tradições religiosas do mundo e todos os homens de boa vontade, a fim de recordar aquele gesto histórico de João Paulo II e renovar solenemente o compromisso dos fieis de toda religião a viverem sua fé religiosa como serviço em favor da paz.

- Quem caminha em direção a Deus transmite paz, quem constrói a paz se aproxima de Deus, sublinhou Bento XVI encorajando as pessoas para que neste dia rezem pela paz e pela liberdade religiosa.

O Pontífice também explicou que quem caminha em direção a Deus não pode não transmitir a paz, bem como que quem constrói a paz não pode não se aproximar de Deus.

-Convido-vos a acompanhar desde agora, com a vossa oração, essa iniciativa, concluiu.

Preocupado com a questão da Liberdade Religiosa, o Santo Padre ao escrever a Mensagem para o Dia Mundial da Paz 2011, escolheu como tema “Liberdade religiosa, caminho para a paz”. Clique aqui e confira a mensagem na íntegra.

*Fonte e foto: CNBB

domingo, 2 de janeiro de 2011

Epifania do Senhor.

Hoje celebramos a Epifania do Senhor, momento forte na igreja. É momento em que três Reis Magos avistam no céu o brilho de uma estrela anunciando a chegada de nosso Salvador Jesus Cristo. Indo pelo caminho que a estrela os mostrava, chegaram até Jesus lhe oferecendo ouro, incenso e mirra.

A cada momento de nossas vidas, deveríamos ser como os três Reis magos que não descansaram enquanto não encontraram o menino Jesus nos braços de Maria. Assim como os Reis Magos, seja a nossa vontade de encontrar Jesus, pois, ele é "o caminho, a verdade e a vida", e da mesma forma, cada um de nós deve oferecer a ele a vida: nossas alegrias e tristezas, choros e sorrisos... Ele nasceu para nos salvar de todos os nossos pecados, por isso, a cada erro, peçamos o perdão de nossos pecados com o arrependimento sincero, ele conhece a cada um de nós em particular, e sabe de todas as coisas.

Que o menino Deus não se faça presente somente nas imagens dos presépios nas igrejas, em nossas casas... Mas sim, que a cada dia de nossa peregrinação terrestre, ele venha nascer em nosso coração, e que um dia ele nos leve ao convívio eterno com o perdão de nossos pecados.

Que todos tenham um Feliz e Abençoado Ano Novo!

Pax Domini!

sábado, 1 de janeiro de 2011

Santa Mãe de Deus.

Mateus 2,13-15.19-23

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 13Depois que os magos partiram, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o Egito! Fica lá até que eu te avise! Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo”. 14José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe e partiu para o Egito. 15Ali ficou até a morte de Herodes, para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: “Do Egito chamei o meu Filho”. 19Quando Herodes morreu, o anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, 20e lhe disse: “Levanta-te, pega o menino e sua mãe e volta para a terra de Israel; pois aqueles que procuravam matar o menino já estão mortos”. 21José levantou-se, pegou o menino e sua mãe e entrou na terra de Israel. 22Mas, quando soube que Arquelau reinava na Judéia, no lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Por isso, depois de receber um aviso em sonho, José retirou-se para a região da Galiléia 23e foi morar numa cidade chamada Nazaré. Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelos profetas: “Ele será chamado nazareno”. – Palavra da salvação.
 
 
Reflexão: TRILHAR O CAMINHO DA PAZ
 
Ao iniciar o novo ano neste dia mundial da paz, sob o olhar da mãe de Deus, é importante que nos proponhamos trilhar o caminho da paz. O menino que chegou no Natal é o Deus da paz e veio nos trazer a paz, dom por excelência entre os bens messiânicos.

A narrativa do evangelho nos mostra os pastores de Belém se dirigindo à gruta em busca do menino para adorá-lo, após terem recebido o anúncio do anjo. O anjo se dirige também a nós para que busquemos o Deus da paz e a concretizemos no nosso dia a dia, pois ela parece cada vez mais distante.

A “violência visível” nos assusta cada dia mais. Ela está sempre mais presente nos grandes centros urbanos e começa a se manifestar também nas pequenas comunidades do interior. Essa violência não será vencida enquanto não diminuirmos a “violência invisível” praticada nas famílias, principalmente contra os mais indefesos: crianças, mulheres e idosos. Como podemos educar as crianças para a paz se elas crescem em ambiente hostil, agressivo, dentro do próprio lar?

A exemplo dos magos, devemos ir ao encontro do Deus da paz. Nada acontecerá se cruzarmos os braços e esperarmos que Deus mande um raio e fulmine todos os que praticam algum gesto de violência contra inocentes. O menino Jesus vive com os pais num clima de serena confiança, elemento fundamental para criar nos pequenos o espírito e o desejo da paz.

Neste dia, costumamos nos saudar com um “feliz ano-novo”. Sim, teremos um ano feliz à medida que soubermos concretizar a paz, viver a fraternidade, eliminar a exploração, a injustiça e a miséria, resgatar os pobres. Se não houver respeito e dignidade para todos, jamais teremos paz autêntica, a paz de Deus. Além disso, precisamos nos dispor a ouvir o “feliz ano-novo” que Deus nos dirige. É ele, antes de qualquer outro, quem hoje nos dá as felicitações de novo ano com a garantia de suas bênçãos.

Pe. Nilo Luza, ssp