Páginas

sábado, 31 de dezembro de 2011

Ano Novo.

Caríssimos leitores,
Salve Maria!

O Ano de 2011 foi muito atribulado para mim. Várias acontecimentos na minha vida me colocaram para pensar pensar mais. Idas e vindas, choros e alegrias, tudo isso agradeço muito a Deus! Agradeço a ele também por ter me apresentado a Giovana Cunha, do blog Santa Mãe de Deus. Por ela, eu conheci a tradição e a verdadeira Missa. Ela, como uma Mãe Espiritual (se assim posso chamá-la), me auxiliou bastante na verdadeira fé. Hoje, infelizmente, por vários motivos e problemas, ainda pertenço a uma paróquia modernista. Peço que vocês rezem por mim: pela minha vida, pela minha vocação, enfim. Peço também que rezem por todos aqueles que me fizeram mal, para que Deus, em sua infinita misericórdia, perdoe a todos nós, mas principalmente aqueles que usam uma máscara fazendo tantas coisas erradas dentro de uma paróquia pertencente à Tradição.

Agradeço a todos vocês que visitam meu blog. Logo, haverão mais postagens.

Desejo-lhes um Feliz Ano Novo! Que vocês possam ter um 2012 abençoado por Deus! Que tudo de bom possa acontecer com cada um de vocês e com os que próximo a vocês ficam.

Feliz e Abençoado Ano de 2012!

In Corde Iesu et Mariae, semper,
Augusto Cesar.


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Sagrada Família.


Sagrada Família da Nazaré - 30 de Dezembro.

O dia de hoje selado com a festa da Sagrada Família, relembra-nos a data do Natal do Senhor (que ainda estamos comemorando), pois, é um dia de muita alegria.
A Sagrada Família inspira famílias do mundo inteiro, e penso: como seria bom se todas as famílias fossem que nem esta. 
O que mais vemos nos dias atuais são famílias se decompondo: os maridos que traem as suas esposas e vice-versa, pais matando seus filhos e vice-versa, vemos fatos até de pais que estupram seus próprios filhos.
Então, no dia de hoje, peçamos a Deus que todas as famílias do mundo se inspirem na Sagrada Família de Nazaré, para haver a paz e a verdadeira felicidade com todos os seus membros.

In Corde Iesu et Mariae, semper,
Augusto Cesar.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

A VOLTA DO BLOG!

Olá a Todos!

Salve Maria!

Queria aqui comunicar a todos que este blog está na ATIVA!

Aguardem postagens!

In Corde Iesu et Mariae!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Blog DESATIVADO!

ESTE BLOG SE ENCONTRA DESATIVADO POR ALGUM TEMPO!

SALVE MARIA!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

5º Domingo Depois de Pentecostes.


Os Fariseus.

A justiça dos fariseus... Era toda de aparências, e não de verdade. Evitavam escrupulosamente os  pecados que os pudessem desacreditar aos olhos do público, importando-se pouco da santidade interior. O cristão que exteriorrmente praticar boas obras, e não se esforçar por evitar os pecados interiores, pertence ao número desses hipócritas, que "não entrarão no reino dos céus".

Eu, porém, vos digo... Tinham os judeus dois tribunais diferentes: o do "juízo", que se compunha dos sacerdotes e pais de família, e funcionava em cada cidade; e o do "conselho" (ou sinédrio), que constatava de setenta e um membros, e só existia em Jerusalém. Este decidia as causas mais graves, aqueles as questões de menor alcance. O sentido das palavras de Cristo são as seguintes: Os tribunais humanos não se vingam senão os crimes que aparecerem por fora, como o homicídio; o tribunal de Deus, porém castiga também os pecados interiores e secretos, que aos olhos do mundo passam impunes. Pode alguém parecer honrado e ser tido na conta de "homem de bem", e ser não um obstante um grande criminoso aos olhos de Deus. Pode alguém cometer pecado mortal pelo simples fato de nutri voluntariamente ódios ou rancores contra o seu semelhante.

Tolo, ímpio... "Tolo", era para o judeu uma palavra ligeiramente ofensiva; "ímpio" equivalia a dizer: excomungado, condenado, ateu.

Vai reconciliar-se primeiro... A caridade é a primeira das nossas obrigações sociais. Deus não aceita o sacrifício daquele que viver em inimizades com o próximo, e recusar fazer as pazes. O cristão que se confessa sem vontade séria de se reconciliar com seu inimigo, não recebe o perdão das suas culpas;  nem pode rezar o Padre Nosso sem provocar a maldição de Deus; pois, toda a vez que diz: "Perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores", pede a Deus que não lhe perdoe os pecados, da mesma forma que também ele não perdoa as ofensas que tem sofrido do próximo. - Ainda nos tormentos da cruz, Nosso Senhor pedia pelos que o crucificavam: "Pai, perdoai-lhes, por que não sabem o que fazer".

Missal Dominical Popular.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Meu Aniversário!

Louvor pelo dom da Vida

Hoje venho louvar-te, Senhor,
pelo dom da vida que se renova a cada instante
com toda a sua beleza e expressão.
Amo a vida que me deste com tudo o que ela representa.
Senhor, sinto no mais profundo do meu ser
a incomparável alegria de viver.
Retira um pouco desta alegria
e distribui entre aqueles que andam tristes e oprimidos,
porque perderam as razões de saborear o pão de cada dia.
Mesmo, Senhor, quando a morte arrebata com crueldade alguém, de junto de mim,
quero ainda bendizer-te na saudade,
por acreditar sempre na última palavra da vida.
Lateja em minhas veias a força da vida
que tu, Senhor, sustentas misteriosamente,
de dia e de noite,
ao contacto permanente da tua omnipotência criadora.
Tão grande é o bem da vida que supera tudo quanto se pode desejar,
quando se repartem os votos entre os amigos.
A maior ventura, Senhor, é saber agradecer-te por eu ter nascido,
por estar vivo
e poder experimentar profundamente a alegria de viver.
Amém.

(SCHLESINGER, Hugo; PORTO, Humberto - Dialogando com Deus. São Paulo: Edições Paulinas, 1981)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mais um SHOW!

Caríssimos leitores,
Salve Maria!

Quando Eu penso que já vi de tudo nessa vida, eu vejo algo mais.
Pensei comigo: depois de tudo que já vi, li, ouvi... Não consigo me impressionar com mais nada! Eis que me engano!

Vejam o SHOW!


QUE ABSURDO!!!

Essa pessoa no presbitério é um PADRE ou é um DANÇARINO?

As pessoas que aí estão foram para a SANTA MISSA ou para QUEIMAR CALORIAS?

Todas as vezes vejo e ouço pessoas dizendo que no fim tudo da certo. ESSE É O FIM! E EU NÃO ESTOU VENDO NADA DANDO CERTO!

Que Deus tenha misericódia de nós e do mundo inteiro, em meio a tantos abusos com o que deveria ser o Santo Sacrifício do Calvário.

Fiquemos com Deus!

Sancta Dei Genitrix, ora pro Nobis!

In Corde Iesu et Maria, semper,
Augusto Cesar.


VIDEO: Giovana Cunha do Blog Santa Mãe de Deus!

domingo, 3 de julho de 2011

3º Domingo Depois de Pentecostes.


A Maledicência.

"Este recebe os pecadores e come com eles." (LC. 15)

Os fariseus criticam a familiaridade de Jesus com os pecadores; maliciosamente ensinam que Jesus não é santo, porque come com gente de má vida. Eis a perfídia dos maldizentes.

A maledicência é um vício detestável;
É contra a caridade, que nos manda amar o irmão, não o tornando desprezível...
É contra a justiça, porque priva o próximo de um bem precioso: o bom nome, a reputação...
É um vício comum: reina mesmo entre pessoas que se dizem cristãs, católicas, e se tem por exemplares...

Fujamos deste vício que torna mal vistos os discípulos de Jesus Cristo.
Fujamos do maledicente, como quem foge de uma doença contagiosa.

Desviemos da conversa que fere a reputação do próximo e repeendamos com doçura os detratores.

Demos sinal de desagravo...
Mostremos semblante severo...

Falemos com toda a franqueza: não me agrada uma conversa que ataca a reputação alheia.

Se o nosso nome é atacado, consolemo-nos com Jesus, que fazia bem as almas, atraía os pecadores... E sua caridade era mal interpretada.

Procedamos corretamente e deixemos o mundo. - Deus é o nosso juiz...

Rezemos por aqueles que nos atacam, imitando o nosso mestre... Dele receberemos o prêmio.

Missal Dominical Popular.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Sagrado Coração de Jesus.



A devoção ao Sagrado Coração de Jesus é uma das expressões mais difundidas da piedade eclesial, tal como refere recentemente o “Directório sobre a Piedade Popular e a Liturgia” da Congregação para o Culto Divino. Os Pontífices romanos têm salientado constantemente o sólido fundamento na Sagrada Escritura desta maravilhosa devoção.

Como conseqüência das aparições de Nosso Senhor a Santa Margarida Maria Alacoque no mosteiro de Paray-le-Monial a partir de 1673, este culto teve um incremento notável e adquiriu a sua feição hoje conhecida. Nenhuma outra comunicação divina, fora as da Sagrada Escritura, receberam tantas aprovações e estímulos da parte do Magistério da Igreja como esta.

Entre os documentos mestres nesta matéria encontramos a encíclica de Pio XII, Haurietis aquas, de 15 de Maio de 1956. Pio XII salienta que é o próprio Jesus que toma a iniciativa de nos apresentar o Seu Coração como fonte de restauração e de paz: “Vinde a mim, todos vós, que estais cansados e oprimidos, que Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mt. 11, 28-30)

Não é por acaso que as aparições a Santa Margarida Maria deram-se num momento crucial em que se pretendia afirmar secularização e que a devoção ao Sagrado Coração apareceu sempre como o mais característico de todos os movimentos que resistiram à descristianização da sociedade moderna.

Cor Iesu Sacratissimum
Miserere Nobis.

Coração de Jesus que sempre nos amais.
Fazei que vos ame cada vez mais!

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Peregrinação da Juventude Católica do RJ ao Cristo Redentor.

Dia 30 de Outubro: Peregrinação da Juventude Católica do RJ ao Cristo Redentor.

O Santuário do CRISTO REDENTOR comemora 80 anos, e no dia 30 de outubro de 2011, que no calendário do Rito Romano na sua forma extraordinário a Santa Igreja Católica celebra o dia de CRISTO REI do Universo, nós jovens Católicos subiremos o CRISTO Redentor em peregrinação com estandartes e músicas para honrar a CRISTO REI!

Convocamos a todos para estarem presentes! Seja do interior do Rio de Janeiro, seja de outro estado, venham!

Nossa peregrinação será aos moldes das peregrinações à Chatres (veja aqui, aqui e aqui) e Luján (veja aqui).

Entretanto, só conseguimos 50 'bilhetes de cortesia' para a entrada no Santuário, isto é, o restante precisará de pagar. Entre em contato conosco pelo e-mail: cristoredentor.contato@gmail.com

Esta peregrinação é uma iniciativa dos sites SALVEM A LITURGIA e A VIDA SACERDOTAL.

O Pe. Anderson Batista da Silva nos acompanhará como diretor espiritual e irá celebrar a Santa Missa Na Forma Extraordinária do Rito Romano ao fim da peregrinação.

Pe. Anderson Batista, Niterói.
 
No Facebook

Nossa página OFICIAL no Facebook, aqui.

 
Nosso grupo, aqui.

 
Contamos com sua presença!

Viva CRISTO REI!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

São Pedro - Primeiro Bispo de Roma.


Dia 29 de Junho. Dia De São Pedro - Primeiro Bispo de Roma.


Nome e Importância.

Segundo a Bíblia, seu nome original não era Pedro, mas Simão. Nos livros dos Atos dos Apóstolos e na Segunda Epístola de Pedro, aparece ainda uma variante do seu nome original, Simeão. Cristo mudou seu nome para כיפא, Kepha (Cefas em português, como em Gálatas 2:11), que em aramaico significa "pedra", "rocha", nome este que foi traduzido para o grego como Πέτρος, Petros, através da palavra πέτρα, petra, que também significa "pedra" ou "rocha", e posteriormente passou para o latim como Petrus, também através da palavra petra, de mesmo significado.

A mudança de seu nome por Jesus Cristo, bem como seu significado, ganham importância de acordo com a Igreja Católica em Mt 16, 18, quando Jesus diz: "E eu te declaro: tu és Kepha e sobre esta kepha edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão nunca contra ela." Jesus comparava Simão à rocha.[4] Pedro foi o fundador, junto com São Paulo, da Igreja de Roma, sendo-lhe concedido o título de Príncipe dos Apóstolos. Esse título é um tanto tardio, visto que tal designação só começaria a ser usada cerca de um século mais tarde, suplementando o de Patriarca (agora destinado a outro uso). Pedro foi o primeiro Bispo de Roma. Essa circunstância é importante, pois daí provém a primazia do Papa e da diocese de Roma sobre toda a Igreja Católica; posteriormente esse evento originaria os títulos "Apostólica" e "Romana".


O Primado de Pedro Segundo a Igreja Católica.

Toda a primeira parte do Evangelho gira em torno da pergunta: quem é Jesus? Simão foi o primeiro dos discípulos a responder essa pergunta: Jesus é o filho de Deus. É esse acontecimento que leva Jesus a chamá-lo de Pedro.

Encontramos o relato do evento no Evangelho de São Mateus, 16:13-19: Jesus pergunta aos seus discípulos (depois de se informar do que sobre ele corria entre o povo): "E vós, quem pensais que sou eu?".

Simão Pedro, respondendo, disse: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Jesus respondeu-lhe: “Bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi carne ou sangue que te revelaram isso, e sim Meu Pai que está nos céus. Também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei Minha Igreja[10], e as portas do Hades[11] nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus e o que ligares na terra será ligado nos céus. E o que desligares na terra será desligado[12] nos céus” (Mt 16, 16:19).

O Evangelho de João[13], bem como o de Lucas[14], também falam a respeito do primado de Pedro dever ser exercido particularmente na ordem da Fé, e que Cristo o torna chefe: Jesus disse a Simão (Pedro): "Simão, filho de João, tu Me amas mais do que estes? "Ele lhe respondeu: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Apascenta Meus cordeiros". Segunda vez disse-lhe: "Simão filho de João, tu Me amas? - "Sim, Senhor”, disse ele, “tu sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Apascenta Minhas ovelhas". Pela terceira vez lhe disse: "Simão filho de João, tu Me amas? Entristeceu-se Pedro porque pela terceira vez lhe perguntara “Tu Me amas?” e lhe disse: "Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que te amo". Jesus lhe disse: "Apascenta Minhas ovelhas.[15]

Simão, Simão, eis que Satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; Eu, porém, orei por ti, a fim de que tua fé não desfaleça. Quando, porém, te converteres, confirma teus irmãos.[16]

Mais do que em Mt 16, 17:19 esse texto é mais claro no que se refere ao primado que Cristo confere a Pedro no próprio seio dos apóstolos; um papel de direção na Fé.


O Apóstolo Pedro, Primeiro Bispo de Roma.
 
A comunidade de Roma foi fundada pelos apóstolos Pedro e Paulo e é considerada a única comunidade cristã do mundo fundada por mais de um apóstolo e a única do Ocidente instituída por um deles. Por esta razão desde a antiguidade a comunidade de Roma (chamada atualmente de Santa Sé pelos católicos) teve o primado sobre todas as outras comunidades locais (dioceses); nessa visão o ministério de Pedro continua sendo exercido até hoje pelo Bispo de Roma (segundo o catolicismo romano), assim como o ministério dos outros apóstolos é cumprido pelos outros Bispos unidos a ele, que é a cabeça do colégio apostólico, do colégio episcopal. A sucessão papal (de Pedro) começou com São Lino (67) e, atualmente é exercida pelo papa Bento XVI.
 
 
Oração a São Pedro.
 
Gloriosíssimo São Pedro, creio que vós sois o fundamento da igreja, o pastor universal de todos os fiéis, o depositário das chaves do céu, o verdadeiro vigário de Jesus Cristo; e eu me glorio de ser vossa ovelha, vosso súdito e filho. Uma graça vos peço com toda a minha alma; guardai-me sempre unido a vós e fazei que antes me seja arrancado do peito o coração do que o amor e plena submissão que vos devo nos vossos sucessores, os Pontífices Romanos.
Viva e morra como filho vosso e filho da Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana.
Assim seja.

S. Petrum, ora pro Nobis!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Divulgação.


Clique para ampliar.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.


Dia 27 de Junho. Dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um título conferido a Maria, mãe de Jesus, representada em um ícone de estilo bizantino. Na Igreja Ortodoxa é conhecida como Mãe de Deus da Paixão, ou ainda, a Virgem da Paixão.

Um ícone célebre é venerado desde 1865 em Roma, na igreja de Santo Afonso, dos redentoristas, na Via Merulana. Tendo vindo da ilha de Creta e estado antes na Igreja de S. Mateus, igualmente em Roma, onde tinha sido solenemente entronizado no ano de 1499, e do qual se contam muitos milagres e histórias.

A tipologia da Mãe de Deus da Paixão está presente no repertório da pintura bizantina desde, no mínimo, o século XII, apesar de rara. No século XV, esta composição que prefigura a paixão de Jesus, é difundida em um grande número de ícones.

Andreas Ritzos, pintor grego do século XV, realizou as mais belas pinturas neste tema. Por esta razão, muitos lhe atribuem este tipo iconográfico. Na verdade a tipologia é bizantina, e quase acadêmica a execução do rígido panejamento das vestes; mas é certamente novo o movimento oposto e assustado do menino, de cujo pé lhe cai a sandália, e ainda a comovente ternura do rosto da mãe.

O ícone é uma variante do tipo hodigítria cuja representação clássica é Maria em posição frontal, num braço ela porta Jesus que abençoa e, com o outro, o aponta para quem, olha para o quadro, aludindo no gesto à frase “é ele o caminho”.

Na representação da Virgem da Paixão, os arcanjos Gabriel e Miguel , na parte superior, de um lado e do outro de Maria, apresentam os instrumentos da paixão. Um dos arcanjos segura a cruz e o outro a lança e a cana com uma esponja na ponta ensopada de vinagre (Jo 19,29).

Ao ver estes instrumentos, o menino se assusta e agarra-se à mãe, enquanto uma sandália lhe cai do pé.

Sobre as figuras no retrato, estão algumas letras gregas. As letras “IC XC” são a abreviatura do nome “Jesus Cristo” e “MP ØY” são a abreviatura de “Mãe de Deus”. As letras que estão abaixo dos arcanjos correspondem à abreviatura de seus nomes.

Oração.

Deus, nosso Pai,
nós vos agradecemos
porque nos destes Maria como nossa Mãe
e refúgio nas aflições.
Socorrei-nos, dia e noite,
ó Mãe do Perpétuo Socorro.
Ajudai os doentes, e os aflitos vinde consolar!
Vosso olhar a nós volvei e vossos filhos protegei.
Ó Maria, dai saúde ao corpo enfermo,
dai coragem na aflição;
sede a nossa estrela-guia na escuridão.
Socorrei-nos, amparai-nos
e dai-nos hoje a graça que vos pedimos.
Amém!

2º Domingo Depois de Pentecostes.


O Festim do Pai de Família

Deus preparou para o homem pecador quatro festins:

1. O primeiro é o festim da fé, da religião católica, para o qual Deus chama todos os homens, pela voz dos seus apóstolos. É o banquete da verdade que sacia plenamente a alma, que tem fome e sede de ciência verdadeira, sem erros, sem dúvidas.

2. O segundo é o festim da penitência; aí reino o júbilo pela conversão do pecador; Jesus sacia a alma dando-lhe paz... Garantindo-lhe o perdão... Revestindo-o das vestes da inocência.

3. O terceiro é o festim eucarístico em que o próprio Deus é o alimento espiritual; alimento sumamente nutritivo... Que nos faz crescer espiritualmente... Que nos dá o desenvolvimento... Que nos torna fortes e resistentes contra os inimigos internos e externos.

4. O quarto é o festim celeste, em que seremos plenamente saciados, porque veremos a Deus como é em si mesmo.

Os convidados se excusam:

1. Excusam-se os orgulhosos... Os ambiciosos... Os que prestam culto ao luxo, aos faustos, às grandezas do mundo.

2. Excusam-se os avaros, os que têm amor à riquezas: ao ouro, à fortuna, ao lucro.

3. Excusam-se por fim os sensuais: os que amam a carne, a intemperança, a luxúria.

Todos estes desprezam a religião, detestam a penitência, zombam das coisas sagradas, e fazem das misérias da terra seu paraíso.

Não sejamos do número desses infelizes que vivem como animais.

Acudamos ao convite do Pai de família... Ele só quer a nossa felicidade.

Missal Dominical Popular.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

São João Batista.


24/06 - Dia de São João Batista

A relevância do papel de São João Batista reside no fato de ter sido o "precursor" de Cristo, a voz que clamava no deserto e anunciava a chegada do Messias, insistindo para que os judeus se preparassem, pela penitência, para essa vinda.

Já no Antigo Testamento encontramos passagens que se referem a João Batista. Ele é anunciado por Malaquias e principalmente por Isaías. Os outros profetas são um prenúncio do Batista e é com ele que a missão profética atingiu sua plenitude. Ele é assim, um dos elos de ligação entre o Antigo e o Novo Testamento.

Segundo o Evangelho de Lucas, João, mais tarde chamado o Batista, nasceu numa cidade do reino de Judá, filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, parenta próxima de Maria, mãe de Jesus. Lucas narra as circunstâncias sobrenaturais que precederam o nascimento do menino. Isabel, estéril e já idosa, viu sua vontade de ter filhos satisfeita, quando o anjo Gabriel anunciou a Zacarias que a esposa lhe daria um filho, que devia se chamar João. Depois disso, Maria foi visitar Isabel. "Ora quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: 'Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite?'" (Lc 1:41-43). Todas essas circunstâncias realçam o papel que se atribui a João Batista como precursor de Cristo.

Ao atingir a maturidade, o Batista se encaminhou para o deserto e, nesse ambiente, preparou-se, através da oração e da penitência - que significa mudança de atitude, para cumprir sua missão. Através de uma vida extremamente coerente, não cessava jamais de chamar os homens à conversão, advertindo: " Arrependei-vos e convertei-vos, pois o reino de Deus está próximo". João Batista passou a ser conhecido como profeta. Alertava o povo para a proximidade da vinda do Messias e praticava um ritual de purificação corporal por meio de imersão dos fiéis na água, para simbolizar uma mudança interior de vida.

A vaidade, o orgulho, ou até mesmo, a soberba, jamais estiveram presentes em São João Batista e podemos comprová-lo pelos relatos evangélicos. Por sua austeridade e fidelidade cristã, ele é confundido com o próprio Cristo, mas, imediatamente, retruca: "Eu não sou o Cristo" (Jo 3, 28) e " não sou digno de desatar a correia de sua sandália". (Jo 1,27). Quando seus discípulos hesitavam, sem saber a quem seguir, ele apontava em direção ao único caminho, demonstrando o Rumo Certo, ao exclamar: "Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo". (Jo 1,29).

João batizou Jesus, embora não quisesse fazê-lo, dizendo: "Eu é que tenho necessidade de ser batizado por ti e tu vens a mim ?" (Mt 3:14). Mais tarde, João foi preso e degolado por Herodes Antipas, por denunciar a vida imoral do governante. Marcos relata, em seu evangelho (6:14-29), a execução: Salomé, filha de Herodíades, mulher de Herodes, pediu a este, por ordem da mãe, a cabeça do profeta, que lhe foi servida numa bandeja. O corpo de João foi, segundo Marcos, enterrado por seus discípulos.


Oração a São João Batista

São João Batista, voz que clama no deserto: "Endireitai os caminhos do Senhor... fazei penitência, porque no meio de vós está quem não conheceis e do qual eu não sou digno de desatar os cordões das sandálias", ajudai-me a fazer penitência das minhas faltas para que eu me torne digno do perdão daquele que vós anunciastes com estas palavras: "Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira os pecados do mundo".

S. Ioannes Baptista, ora pro nobis!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Corpus Christi.


"Bendito, Louvado Seja! O Santíssimo Sacramento!"

Corpo de Deus!

Entre as festas que a Igreja recomenda à nossa piedade, uma há que se distingue pela sua preeminência, é a festa do Corpo de Deus; festa cujo objeto é o próprio Deus Sacramentado.

Neste dia, a todos os católicos cabe o dever:

1. De adorar o precioso Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo;
2. De agradecer os benefícios que dele recebm na Santa Missa e na Sagrada Comunhão;
3. De reparar as injúrias que Jesus recebe no Santíssimo Sacramento;
4. De pedir a Jesus Sacramentado as graças espirituais e temporais de que precisam.

Jesus sacramentado é verdadeiro Deus.
Está verdadeira, real e substancialmente presente na hóstia consagrada; deve ser adorado.

É nosso supremo benfeitor de quem recebemos tudo; o ser, a vida... a graça... os bens temporais.
É ofendido por nossos irmãos... É ofendido por nós.
É nosso dever pedir-lhe perdão de nossas culpas... fazer bons propósitos.

Jesus sacramentado é um tesouro de graças; a Ele recorramos na certeza de tudo conseguirmos.
Jesus permanece em nossos tabernáculos, como alimento das nossas almas.

Celebremos esta festa recebendo-o na Santa Comunhão, com mais fervor... ofereçamos-lhe nosso coração.
Prometamos-lhe fidelidade perfeita, no cumprimento dos nossos deveres de cristãos.
Desagravemo-lo das injúrias que recebe dos ímpios, incrédulos, dos blasfemos, dos Judas que comungam indignamente.

Não merece o nome de Católico aquele que não ama a Santíssima Eucaristia.

Missal Dominical Popular.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Mensagem do Papa São Gregório Magno à RCC.

Orlando Fedeli

Para os que pensam ter o dom das línguas, mas que perderam o dom de ouvir.

São Gregório Magno, foi Papa no final do século VI. Foi um dos maiores Papas da Igreja. Em um de seus sermões, ele tratou dos pretensos carismas, e o que ele disse então responde perfeitamente às pretensões do falso misticismo da RCC de hoje em dia.

Este sermão, foi feito por esse santo Papa, no dia da Ascenção de Nosso Senhor Jesus Cristo, em 24 de Maio de 591, na basílica de Sâo Pedro, comentando o texto do Evangelho de São Marcos (XVI, 15-20).

Ele será bem útil àqueles que, sendo humildes, amarem mais terem ouvidos para ouvir do que pretenderem ter línguas estranhas para falar.

Ouçamos, pois, São Gregório:

Eis os sinais que acompanharão aqueles que terão acreditado: em meu nome, eles expulsarão os demônios, eles falarão em línguas novas, eles pegarão em serpentes, e se tiverem bebido algum veneno mortal, ele não lhes fará nenhum mal. Eles imporão suas mãos aos doentes e estes serão curados” (São Marcos, XVI,16).

Será que, meus caros irmãos, pelo fato de que vós não fazeis nenhum destes milagres, é sinal de que vós não tendes nenhuma fé?

Estes sinais foram necessários no começo da Igreja. Para que a Fé crescesse, era preciso nutri-la com milagres. Também nós, quando nós plantamos árvores, nós as regamos até que as vemos bem implantadas na terra. Uma vez que elas se enraizaram, cessamos de regá-las.

Eis porque São Paulo dizia: "O dom das línguas é um milagre não para os fiéis, mas para os infiéis” (I Cor, XIV,22).

Sobre esses sinais e esses poderes, temos nós que fazer observações mais precisas?

A Santa Igreja, faz todo dia, espiritualmente, o que ela realizava então nos corpos, por meio dos Apóstolos. Porque, quando os seus padres, pela graça do exorcismo, impõem as mãos sobre os que crêem, e proibem aos espíritos malignos de habitar sua alma, faz outra coisa que expulsar os demônios?

Todos esses fiéis que abandonam o linguajar mundano de sua vida passada, cantam os santos mistérios, proclamam com todas as suas forças os louvores e o poder de seu Criador, fazem eles outra coisa que falar em línguas novas?

Aqueles que, por sua exortação ao bem, extraem do coração dos outros a maldade, agarram serpentes.

Os que ouvem maus conselhos sem, de modo algum, se deixar arrastar por eles a agir mal, bebem uma bebida mortal, sem que ela lhes faça mal algum.

Aqueles que todas a vezes que vêem seu próximo enfraquecer, para fazer o bem, e o ajudam com tudo o que podem, fortificam, pelo exemplo de suas ações, aqueles cuja vida vacila, que fazem eles senão impor suas mãos aos doentes, a fim de que recobrem a saúde?

Estes milagres são tanto maiores pelo fato de serem espirituais, são tanto maiores porque repõem de pé, não os corpos, mas as almas.

Também vós, irmãos caríssimos, realizais, com a ajuda de Deus, tais milagres, vós os realizais, se quiserdes.

Pelos milagres exteriores não se pode obter a vida. Esses milagres corporais, por vezes, manifestam a santidade.Eles não criam a santidade.

Os milagres espirituais agem na alma.Eles não manifestam uma vida virtuosa. Eles fazem vida virtuosa.

Também os maus podem realizar aqueles milagres materiais. Mas os milagres espirituais só os bons podem fazê-los.

É por isso que a Verdade diz, de certas pessoas:

Muitos me dirão, naquele dia: “Senhor, Senhor, não foi em teu nome que nós profetizamos, que nós expulsamos os demônios e que realizamos muitos prodígios? E Eu lhes direi:”Eu não vos conheço. Afastai-vos de Mim, vós que fazeis o mal” (São Mateus VII, 22-23).

Não desejeis, ó irmãos caríssimos, fazer os milagres que podem ser comuns também aos réprobos,, mas desejai esses milagres da caridade e do amor fraterno dos quais acabamos de falar: eles são tanto mais seguros pelo fato de que são escondidos, e porque acharão, junto a Deus, uma recompensa tanto mais bela quanto eles dão menor glória diante dos homens”(São Gregório Magno, Papa, Sermões sobre o Evangelho, Livro II, Les éditions du Cerf, Paris, 2008, volume II, pp. 205 a 209).

Eis o que nos ensina São Gregório Magno, Papa, prevenindo-nos contra o pretender possuir imprudentemente os dons e carismas extraordinários do Espirito Santo.

E este santo Doutor da Igreja nos previne ainda contra os que pretendem que se tornem comuns a todos, os carismas e dons que o Espírto Santo dá extarordinaraiamente apenas a alguns, que ele escolhe sem precisar que se lhes ensine trejeitos que imitem os verdadeiros dons, que são gratuitos, e não fruto de uma técnica humana.

Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça. E que toda língua pretensiosa e imprudente se cale.

Sâo Paulo, 17 de julho de 2009.
Orlando Fedeli

Para citar este texto:

Orlando Fedeli - "Mensagem do Papa São Gregório Magno à RCC"
MONTFORT Associação Cultural
Online, 21/06/2011 às 13:57h

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Santíssima Trindade.


"Ide e ensinai a todas as criaturas, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo."

Se cremos no que diz um homem dotado de ciência e veracidade, por que não creremos o que nos revela o próprio Deus? Aceitamos o que diz uma pessoa autorizada, mesmo que não compreendamos o que nos ensina, por que não creremos o que Deus nos revela, mesmo que nos ensine mistérios?

Nada mais meritório - Crer os mistérios de um Deus é um sacrifício que fazemos das luzes da nossa razão; renunciamos ao orgulho do nosso espírito... Submentendo-nos à palavra divina.

Devemos adorar... A Santíssima Trindade é o próprio Deus que reina no céu e que enche a terra com a sua majestade. É o ser perfeito, sublime, incompreensível, a quem é devida toda honra, toda glória, todo louvor. Repitamos com a Igreja: Glória ao Pai, ao Filho, ao Espírito Santo...

Devemos amar... As três pessoas têm o mesmo pensamento, o mesmo amor... Nós nos aproximamos dessa união perfeitíssima pela caridade: um só coração, uma só alma... A perfeita união depende de nos considerarmos uns aos outros como filhos do mesmo Pai celeste e nos amarmos como irmãos.

O mesmo pensamento e o mesmo amor é o que faz a felicidade do lar... A mesma ideia, o mesmo querer é o segredo da paz na família e na sociedade... Esta é a unidade que Jesus pediu ao seu Pai: que todos sejam um... A união terrena será aperfeiçoada no céu.

Glória Patri, et Filio, et Spíritui Sancto. Sicut erat in princípio, et nunc, et semper: et in saecula saeculórum. Amen.

Missal Dominical Popular.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

O Problema da Auto-comunhão.

Caríssimos leitores,
Salve Maria!

Todos os dias encontramos vários absurdos litúrgicos dentro das paróquias modernistas espalhadas pelo mundo inteiro, e isso não é nenhuma novidade. A Missa a muito tempo atrás (e em algumas poucas paróquias nos dias de hoje) era algo que as pessoas assistiam de coração contrito, pois a mesma fazia com que nós nos colocássemos ao lado de Maria no momento da crucificação e morte de seu filho, Nosso Senhor Jesus Cristo.

Com o passar do tempo as coisas foram mudando, e as pessoas vão à Missa não mais com o espírito contrito e humilde, e sim, vão para fazer "arruaça" com a Missa com tipos diferentes (como em outro post já havia mencionado): Missa Afro, Missa de Cura e Libertação, Missa da Graça, entre outros. Contudo, as pessoas continuaram a ir à Santa Missa, mas se esqueceram do verdadeiro sentido da mesma. Pela minha visão acho que até os sacerdotes esqueceram, TRISTE!

São Pio X nos ensina como receber a Santa Comunhão (já mencionado neste blog):
"No ato de receber a Sagrada Comunhão, devemos estar, (..) com a boca suficientemente aberta e com a língua estendida sobre o lábio inferior (...)" (Catecismo Maior de São Pio X; Top. 640)

Com o modernismo se aplicando às Igrejas do mundo todo, isso foi mudando, e os fiéis tiveram a oportunidade de sempre escolher se querem receber a Sagrada Comunhão na mão, ou na boca (Redemptionis Sacramentum).

Mas agora o fiel ir até a Mesa do Altar e comungar enquanto o Padre fica sentado? Não acham que já tem bagunça demais, não?

Redemptionis Sacramentum - Capítulo IV. Item 94:

"Não está permitido que os fiéis tomem a hóstia consagrada nem o cálice sagrado «por si mesmos, nem muito menos que se passem entre si de mão em mão».[181] Nesta matéria, Além disso, deve-se suprimir o abuso de que os esposos, na Missa nupcial, administrem-se de modo recíproco a sagrada Comunhão".

Vejamos:


Um Padre dentro da Santa Missa pode autorizar os fiéis a fazer a auto-comunhão? NÃO!

Pe. Paulo Ricardo, explica:



O que está acontecendo com os Sacerdotes de hoje? Eis a pergunta que não quer calar.

Que Deus em sua infinita misericórdia perdoe a cada um de nós, mas principalmente a todos os sacerdotes que fazem com que que os fiéis tratem com SACRILÉGIO o Santíssimo Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

In Corde Iesu et Mariae,
Augusto Cesar.

Obs.: Aqui você encontra o documento Redemptionis Sacramentum.

Fontes:

terça-feira, 14 de junho de 2011

Pentecostes - A Obra do Espírito Santo.


"Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra."

A Obra do Espírito Santo é uma obra de renovação e regeneração. Foi verdadeiramente no dia de Pentecostes que ela teve a sua admirável realização: os apóstolos são iluminados e confirmados... O divino Espírito Santo continua a operar na Igreja, no decorrer dos tempos.

I- A ação do Espírito Santo na Igreja:
1. O Espírito Santo a tem mantido. (Perseguições, etc.).
2. Dele recebe a Igreja a vida (a santidade).
3. O Espírito Santo a conduzirá triunfante ao céu.

II- A ação do Espírito Santo em cada um de nós:
1. Ilumina... (Sagrada Escritura, Magistério da Igreja... Inspirações particulares.)
2. Fortifica... Exemplo dos mártires, dos missionários, das almas consagradas a Deus.

Não oponhamos obstáculos à ação santificadora do Espírito Santo. Fujamos do pecado... Não contristai o Espírito Santo de Deus... (Ef. 4, 30).

Nada mais contrária a ação do Espírito Santo numa alma, do que a desonestidade... As apostasias são causas frequentes: o orgulho e a sensualidade... O homem animal não percebe...

Repitamos a invocação: Vinde, Espírito Santo.

Preparemos-lhe uma conveniente morada em nossa alma, pela pureza da vida.

Missal Dominical Popular.