Páginas

domingo, 19 de dezembro de 2010

Não ter medo de acolher Maria.

Mateus 1,18-24.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – 18A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo. 19José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. 20Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: “José, filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. 21Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”. 22Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: 23“Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco”. 24Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado e aceitou sua esposa. – Palavra da salvação.
 
Reflexão.
 
José, noivo de Maria, descobriu que ela estava grávida. Antes que tomasse qualquer decisão, o an¬jo o tranquiliza, dizendo que o que está acontecendo nela é ação do Espírito de Deus.

Uma mulher pega em adultério era considerada uma pessoa amaldiçoada. E essa maldição era para ela e para seus filhos. O noivo certamente pensou que sua noiva tivesse se tor¬nado uma mulher amaldiçoada por ter desobedecido à Lei, rompendo o compromisso que haviam assumido. Do ponto de vista da Lei, José não estaria fazendo nada de errado se repudiasse Maria, se a levasse diante da assembleia para receber ali a con¬denação. Também não estaria incorrendo em ilegalidade se a deixasse privadamente, com poucas testemunhas. Mas o evangelho nos apresenta algo inusitado: José não abandona Maria.

Ele não a abandonou por ter ouvido a voz do anjo, a voz de Deus. Como podemos aplicar essa passa¬gem da Escritura em nosso dia a dia? Uma das possibilidades é, antes de tomar qualquer decisão, procurar ouvir a voz de Deus. É bem provável que não vá aparecer um anjo em nossos sonhos para indicar qual a melhor solução. Mesmo assim, temos os bons exemplos de José, de Maria, de tantos santos e santas que seguiram Jesus e podem nos ajudar.

Quando quisermos tomar decisões, principalmente as que envolvam pessoas em situação de dificuldade, peçamos a ajuda do anjo de Deus, para que nossas escolhas não sejam baseadas no ódio, no desejo de vingança ou no preconceito. Decerto em nosso coração ressoará a voz de Deus: “Não tenha medo de acolher!” Pode ser que acolher quem é vítima de ódio, preconceito ou discriminação não seja o caminho mais confortável, mas seguramente é o que abre as portas para a salvação entrar no mundo.

Não tenhamos medo de acolher Maria, pois ela nos traz Jesus.
 
Pe. Claudiano A. dos Santos, ssp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que o Espírito Santo possa conduzir-te ao comentar esta postagem.

Qualquer comentário que seja contra o que aqui está escrito, não será aceito!

Salve Maria!