Páginas

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

“Aborto é falsa e ilusória defesa de direitos humanos”

Durante a visita ad Limina do Regional Nordeste 5 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) - correspondente ao Estado do Maranhão –, na manhã desta quinta-feira, 28 de outubro, o Papa Bento XVI destacou que os Bispos devem lembrar aos fiéis de que o voto está destinado à promoção do bem comum. O Pontífice, sem citar diretamente o segundo turno eleitoral no Brasil, expressou uma firme condenação às estratégias políticas que tentam apresentar o aborto como direito humano.

—Seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos, políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até a morte natural. [...] Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático é atraiçoado nas suas bases, afirmou.

O Papa discursava a respeito da missão da Igreja de fermentar a sociedade com o Evangelho, através do qual "ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme a sabedoria divina.” Na ocasião, o Santo Padre defendeu o dever de os bispos emitirem juízo moral também em matérias políticas, quando "os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem".

Embora tenha ressaltado que "o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos”, destacou a necessidade de os Bispos melhor auxiliá-los na formação do seu compromisso cristão e sócio-político, especialmente no que diz respeito ao bom uso do direito do voto, de forma a “contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna”.

-Isto significa também que, em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum. [...] Neste ponto, política e fé se tocam, expressou.

Sobre o papel de orientação que a Igreja precisa assumir, Bento XVI exortou:

— Sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambiguidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana.

Ensino religioso confessional e plural

O Papa lembrou também que uma sociedade precisa ser construída "respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana". Nesse sentido, defendeu que Deus deve encontrar lugar nas dimensões da esfera pública, em particular através da educação religiosa e do ensino confessional e plural da religião também na escola estatal.

-Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história, reforçou.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Nossa Senhora Aparecida!

Dai-nos a bênção, ó Mãe querida! Nossa Senhora Aparecida!!!
O dia dela já passou, mas o mês continua, pois, é dela!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

São Francisco de Assis.

ORAÇÃO

Glorioso São Francisco, Santo da simplicidade, do amor e da alegria. No céu contemplais as perfeições infinitas de Deus. Lançai sobre nós o vosso olhar cheio de bondade. Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e corporais. Rogai ao nosso Pai e Criador que nos conceda as graças que pedimos por vossa intercessão, vós que sempre fostes tão amigo dele. E inflamai o nosso coração de amor sempre maior a Deus e aos nossos irmãos,
principalmente os mais necessitados.

São Francisco de Assis, rogai por nós. Amém.

 
ORAÇÃO DA PAZ

Senhor! Fazei de mim um instrumento da vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Paz e Bem!